segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Carvalho Pereira - Comandante da Costa do Rio Grande

Na semana passada, por compromissos pessoais, não pude estar no dia de comemoração aos 50 anos do amigo e estimado poeta Sérgio Carvalho Pereira.
Ainda não o encontrei pessoalmente, e em vez de telefonar, resolvi escrever estas linhas, feito uma carta aberta. 
................................................................................................

Há meio século escrevendo o Continente Pampa, presenteastes a alma dos sensíveis, e por grande, não imaginas o benefício de tua existência.
Esteve na infância dos que ouviram as estrelas de chão e teu gateado assustado que facilita e se nega... bem pro sul de nossas virtudes enraizadas.
Sérgio, são muitas as precisões que necessitamos para viver, e se tivesses comemorado – solitariamente - teus 50 anos de vida, tua consciência falaria  - por todos nós - que estás aqui há muito mais tempo.
Nos chãos batidos de saibro vermelho, no batismo simples quando um laço corre – pela primeira vez – nas mãos de um guri, ou quando alguém por gosto ia de tiro atrás do perfume da  sombra da noite.
Sérgio Carvalho Pereira é o campeador da filosofia em linguagem sem polimento, embebida na lágrima de um idioma que se perde cada vez que um gaúcho deixa o campo.
De tão grande tua gana de falar por eles, ultrapassas, feito tantos, a fronteira da palavra e, divagas pelas muitas formas poéticas de dizer: que nascestes para cantar tua Querência.

Teu primeiro canto está junto aos muitos soldados que comungam de tua doutrina e servem comigo no pelotão musical Curandeiro dos Silêncios. Estamos retornando à linguagem dos galpões!
Tenha a certeza que os rádios voltarão a sintonizar, pelas Estâncias, o compasso chamarreado e petrificado em resistência.
Será teu presente de aniversário desta legião que te segue e admira, em continência ao comandante: Carvalho Pereira – vigilante do mais alto mangrulho na costa do Rio Grande. Regimento Pampa de São Pedro, há mais de meio século rondando as águas pra transformar em canto pampeano, sobre um gateado pelo de sol.

Soldado Amaral, Regimento Fronteiriço De Santa Tecla.

“Permiso” para retirar.


   
                            foto de autor  desconhecido

Um comentário:

  1. Fabricio Vasconcellos24 de fevereiro de 2012 08:01

    Lindas palavras meu amigo e merecidas por parte do comandante Carvalho!
    E tomo a liberdade de me incluir nesta legião que o segue e admira!
    Parabéns pelas palavras Amaral e meus sinceros cumpleanos Dom Carvalho...

    ResponderExcluir